Entenda como o DNA influencia no gerenciamento de peso!

A dieta do DNA não é uma moda, muito menos tema de ficção científica. É uma realidade proporcionada pela ciência, que entende cada vez mais que a melhor opção é sempre personalizada!

A nutrigemônica, estudo da influência que os nutrientes têm em nosso DNA, já está dando frutos! O principal é o desenvolvimento de cardápios personalizados, que levam em conta não só a rotina e desejos do paciente, mas também suas predisposições genéticas.

Recentemente bati um papo com a Anna Paula Buchalla, da Revista Bazaar Brasil, sobre o assunto. Nossa conversa saiu na matéria “A MELHOR DIETA? A DO SEU DNA”, olha só que interessantes algumas das informações que podemos encontrar na matéria completa:

“Pessoas com a variação de um certo gene batizado de CYP1A2 metabolizam a cafeína mais lentamente e estão mais predispostas a hipertensão e distúrbios cardiovasculares se ingerirem mais do que duas xícaras de café por dia. Como este, existem outros genes ainda mais específicos, que mostram o risco de petiscar ao longo do dia e até a preferência por alimentos gordurosos.”

Baked salmon fish fillet with tomatoes, mushrooms and spices. Diet menu.

“as empresas de tecnologia estão dando um passo além e passaram a investir no campo da nutrição: elas determinam não apenas o seu perfil metabólico, mas montam o seu cardápio perfeito”

“já existe um ramo da ciência que estuda a melhor de forma de darmos ‘uma mãozinha’ para a genética individual: a epigenética. São hábitos de vida que podem ativar ou silenciar genes, para o bem ou para o mal. Um exemplo? No caso da dieta, alguns alimentos, hoje se sabe, são capazes de ativar a sirtuína 1, enzima conhecida como ‘gene magro’ por estimular as moléculas que queimam gordura.”

Orange and red peppers and measuring tape. Diet concept.

“Além da perda de peso, ativar a Sirt 1 ajuda também a reduzir os sinais de envelhecimento.”

“A boa notícia é que já existem no mercado ativos que estimulam a Sirt 1, caso do Resveravine. “Ele favorece ainda o processo de detox do organismo, ao aumentar as enzimas antioxidantes em circulação”, explica Claudia Coral”

“Além desse, o Morosil, que ativa genes que atuam na lipólise, a quebra das células de gordura. Nada disso seria possível sem o mapeamento genético e seus desdobramentos – que caminham para um único destino: tratamentos cada vez mais personalizados. E com resultados surpreendentemente melhores.”

Leia a matéria completa aqui!

Image Map
3029
Views

Comentários