Veneza: uma cidade singular, uma viagem inesquecível

VenezaSe você é uma leitora assídua do meu blog, já deve ter percebido que o meu coração bate mais forte pela Itália, não é mesmo? Tanto que há um tempinho atrás, falei aqui sobre as belas paisagens e o charme peculiar da região da Toscana. Mas, hoje, resolvi abrir novamente o meu “diário de viagens” para falar sobre outro destino encantador: Veneza.

A cidade dos canais e das gôndolas dispensa apresentações, e, sem dúvida, oferece uma experiência diferente de qualquer outra que você já teve na vida. Lá, tudo muda: os sons, as luzes, as cores… O lugar é especial e talvez o mais romântico do mundo. As únicas formas de se locomover pela cidade e suas ilhas são a pé e no vaporetto, o famoso ônibus aquático de Veneza, pois carros por lá não circulam. Dependendo de onde você estiver hospedada, é possível até percorrer as Sestieri (seis ilhas principais que compõem Veneza) a pé, deixando para comprar o cartão de transportes quando for explorar de barco a cidade em si e outras ilhas mais distantes.

Veneza é um lugar único também pelo seu dialeto próprio. Suas ruas e praças ganham outros nomes, diferentes dos usados em outras cidades italianas. “Calle” é o nome dado às ruas, “Campo” é um espaço aberto, “Campiello” é uma pracinha e “Fondamenta” é uma rua que corre ao longo de um canal. Mas não se preocupe com isso. Siga sem rumo da cidade porque ninguém conhece Veneza de verdade sem se perder por suas ruas. Caso você se perca, a melhor forma de se localizar é prestar atenção nas placas amarelas que indicam a direção para os pontos turísticos mais importantes. Falando nisso, não deixe de conhecer lugares memoráveis, como a Ponte di Rialto, que funciona não somente como um meio para cruzar o Grande Canal, mas também como uma espécie de shopping, pois é repleta de lojas.

Outro grande passeio em Veneza é ir até o Gueto Judaico, uma área de charme único, considerado o point da noite da cidade, onde turistas e os locais se sentam à beira do canal que corta o distrito para aproveitar o melhor da comida e da bebida venezianas. A área é repleta de prédios de importância histórica para os judeus que vivem ali desde os tempos da República. Não à toa, você encontrará restaurantes e lanchonetes que servem comidas e doces típicos judaicos por lá. Já a praça de São Marcos,  conta com monumentos diferentes, como a Basílica de São Marco, a Campanile (torre que abriga os sinos da basílica), o Palazzo Ducale e a Torre do Relógio. A praça é o centro turístico da cidade, e, por este motivo, está sempre lotada. Os prédios que a cercam, conhecidos como Procuratie, também chamam atenção e abrigam lojas caríssimas e restaurantes, como o Café Florian, o mais famoso café de Veneza. 

Em relação à gastronomia, vale a pena provar o bom e velho Carpáccio, famoso antepasto italiano que surgiu em Veneza e ganhou o mundo pela interessante combinação de sabores promovida pelas lâminas bem finas de carne bovina crua e pelo seu molho, feito originalmente com maionese, molho inglês, suco de limão, leite, sal e pimenta do reino branca. Ah, outra dica deliciosa é o Spritz, um drink criado em Veneza quando a cidade fazia parte do império austríaco, que virou marca registrada dos bares do norte da Itália e febre em todo o País. Sua receita é simples: tem como base o vinho branco misturado com soda ou água com gás e é turbinado por algum licor. O mais famoso deles é o Aperol Spritz, que leva o bitter Aperol (um mix de laranja e infusão de ervas) e ganha um toque extra de uma fatia de laranja. É incrível! 🙂

Image Map
604
Views

Comentários